terça-feira, 8 de dezembro de 2009

para poder levantar um capital moral, pra você poder gastar na apreciação que as pessoas fazem do seu valor, você tem que, no minimo, ter um emprego. E então trabalha e ganha o status de útil, competente, capacitado e de normal. De outra forma todos esses que não lhe são invisiveis te pressionam, e essa pressão vai te empurrar para a margem ou te deixar de um jeito no qual só vai sentir a culpa por não ser útil e por ser fraco, por se encontrar nessa situação.
Um culto ao sacrifício, a utilidade, talvez ao sucesso. E um desprezo muito grande ao tempo que Deus nos da pra viver aqui na terra.

3 comentários:

Paulo Yama disse...

E não é só pra ganhar um status. É pra manter o bucho cheio mesmo.

Harry disse...

O fóda é que o capitalismo, tendo dominado todo o globo, não nos permite escolher levar a easy life lebowskiana, trabalhar pouco pra ganhar o que dá pra gastar no resto do tempo, produzir o o que dá pra consumir quando o trabalho está feito. Ou você trabalha que nem um burro pra ganhar uma miséria, ou você tem sorte de conseguir trabalhar que nem um burro pra ganhar muito dinheiro e não ter tempo de gastá-lo.

O foda é que o capitalismo também não se deixa escolha: ou continua se expandindo, ou mata todo mundo de fome.

Fernando (morsa) Henrique Rovere de Godoy disse...

puta, eu to com fome agora!